Notícias › 18/10/2021

Dioceses do Rio Grande do Sul celebram abertura do Sínodo dos Bispos

Esta é a primeira fase do processo de escuta para o Sínodo que culminará na Assembleia dos Bispos em Roma, em outubro de 2023

Sinodalidade na construção do Sínodo: As Igrejas Particulares do mundo todo foram convidadas pelo Papa Francisco a iniciarem no último fim de semana o processo de escuta para o Sínodo dos Bispos de 2023. Este caminho, que será vivido por toda a Igreja Católica de agora até outubro de 2023, tem como tema Por uma Igreja Sinodal: Comunhão, Participação e Missão.

No Regional Sul 3 da CNBB, muitas das 18 arqui/dioceses vivenciaram ou se preparam para nos próximos dias realizarem a abertura desta primeira fase – a escuta das Igrejas Particulares. Esta etapa se estende até setembro de 2022, quando passamos à escuta Continental e, depois, em outubro de 2023, a fase da Igreja Universal com a Assembleia do Sínodo em Roma.

O Documento Vademecum para o Sínodo explica que em todo o processo de escuta “Muita riqueza virá de discussões entre paróquias, movimentos, leigos, escolas e universidades, congregações religiosas, comunidades cristãs de bairro, ação social, movimentos ecumênicos e inter-religiosos e outros grupos”. Portanto, ressalta justamente a importância desta fase diocesana.

A abertura no Rio Grande do Sul

As formas de anunciar a abertura desta fase local de escuta para o Sínodo foram diversas no Regional Sul 3, de acordo com a realidade de cada arqui/diocese e a criatividade da equipe de organização local.

Em Santa Maria, no centro do Estado, o Arcebispo dom Leomar Brustolin celebrou a abertura no domingo, na Catedral Metropolitana, em celebração que contou com a presença dos padres responsáveis pelas áreas pastorais, seminaristas, religiosos, religiosas e leigos que atuam em Movimentos e Pastorais. A Arquidiocese já está realizando uma escuta qualificada em vistas do seu planejamento pastoral, que será ampliada para atender as solicitações do sínodo.

Na Diocese do Rio Grande, a abertura aconteceu ainda no dia 10 de outubro, durante a Romaria de Nossa Senhora de Fátima. Na ocasião, Dom Ricardo frisou: “É um tempo de escuta e diálogo e queremos assumir juntos essa unidade com a disposição do Espírito Santo que vai proporcionar a renovação da nossa Igreja. Que Nossa Senhora abra nossos corações e venha caminhar conosco por uma Igreja Sinodal”, destacou ele. Ao final, como sinal de unidade, foram abençoadas e entregues as velas sinodais, para que fossem acesas neste último domingo (17), na abertura paroquial do Sínodo.

O mesmo aconteceu no norte do Estado, na Diocese de Erexim. Durante a celebração deste domingo (17), Dom Adimir Mazali abençoou as velas com a logomarca do Sínodo a serem entregues às 30 paróquias da Diocese, ao Seminário Maior São José e aos Santuários, com a indicação de que no próximo domingo, Dia Mundial das Missões, seja feita a motivação desta Assembleia Sinodal em cada local.

Na Arquidiocese de Porto Alegre o convite veio através de um vídeo do Arcebispo, dom Jaime Spengler, para que todas as comunidades, paróquias, vicariatos, grupos, movimentos e instituições se unissem em oração neste domingo pela abertura do Sínodo.

Também nas dioceses de Vacaria, Santo Ângelo, Frederico Westphalen, Bagé e Cachoeira do Sul foram celebradas as missas de abertura, esta última durante a Romaria Penitencial em honra aos Beatos Manuel e Adílio, em Três Passos.

Em Caxias do Sul, Dom José Gislon, presidente do Regional Sul 3 da CNBB e Bispo Diocesano de Caxias do Sul falou em sua homilia sobre a importância do Sínodo:

“Como Igreja comunidade de fé, que se coloca na escuta de Deus e acolhe os sinais dos tempos com o sopro do Espírito Santo, iniciamos neste Mês Missionário um longo caminho de preparação para o Sínodo da Igreja. Será um tempo de escuta, reflexão, oração e comunhão, marcado pela esperança. Como nos recorda o Papa Francisco: O caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio. É um tempo da graça de Deus e do Espírito Santo”, destacou.

Na diocese também foram enviadas às 73 paróquias as velas com a marca do Sínodo e já estão planejados encontros de aprofundamento sobre o processo de escuta, nos dias 21 e 27 de outubro, com os representantes do Conselho Diocesano de Leigos.

Aberturas ainda acontecem até o fim do mês

Em algumas arqui/dioceses as celebrações de abertura do Sínodo estão planejadas para acontecerem até o fim deste mês. Na Arquidiocese Passo Fundo a abertura do Sínodo culminará no próximo domingo. Nas 54 paróquias, nas missas e celebrações desta semana será lida uma carta de dom Rodolfo Weber incentivando às comunidades a participarem do processo de escuta. Já no dia 24 de outubro, na Catedral Metropolitana, às 18h, o arcebispo presidirá a Missa de abertura do Sínodo com transmissão ao vivo, que os fiéis poderão acompanhar através das redes sociais da Arquidiocese.

Em Pelotas, Dom Jacinto Bergmann deve anunciar a abertura do processo sinodal na segunda-feira, 25 de outubro, durante o retiro do clero. O arcebispo celebrará a Missa de Abertura com o clero e representantes das paróquias, pastorais, movimentos, setores e organismos da Arquidiocese, às 19h, também com transmissão pelas redes sociais. Também na Diocese de Osório a abertura está programada para o próximo final de semana, no sábado, durante a Assembleia Diocesana de Pastoral e o mesmo acontece em Montenegro que celebrará a abertura com todos os padres e lideranças da diocese, na sexta-feira, dia 22, também durante a Assembleia de Pastoral.

Na Diocese de Cruz Alta, a abertura se dará no dia 24 de outubro, na celebração dos 190 anos da Paróquia Divino Espírito Santo – Catedral. A missa marcará também as festividades do aniversário natalício de Dom Adelar Baruffi e a última celebração presidida por ele como bispo diocesano de Cruz Alta – já que sua posse como Arcebispo de Cascavel será no dia 31 de outubro. Confira a seguir o vídeo de Dom Adelar:

Victória Holzbach | CNBB Sul 3