Bispos › 09/06/2022

Solenidade da Santíssima Trindade

Na vida da igreja tudo começa e termina com o sinal da cruz, que evoca as três pessoas divinas, a Santíssima Trindade.

Isso é lógico, porque a própria Igreja está em comunhão de vida com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Toda a criação tem sua origem e fim na Santíssima Trindade. Compreende-se, portanto, que as orações e as cerimônias realizadas pela Igreja estejam sempre marcados com o sinal da cruz.

Quando um cristão se benze, desenha sobre si o sinal da cruz. Isto quer dizer que reza na fé trinitária, a Trindade que nele habita pela graça, afirmando que a graça é fruto da cruz, e faz destas verdades um autêntico ato de fé.

O significado dos símbolos cristãos, entre eles o sinal da Santa Cruz é também uma afirmação da missão apostólica de cada fiel. A missão do cristão é ser o “algo a mais” no meio do mundo, no desenrolar de sua existência. Ser uma cruz ou um “mais” significa que ele deve usar sua vida para unir, acrescentar e criar comunhão entre os seres humanos, levando-os à comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

A Igreja espera que, através da celebração de hoje, nos tornemos mais conscientes de que tudo em nossa vida deve ser presidido e guiado pelo Mistério da Trindade. É um mistério, o que significa que sua compreensão está além do nosso intelecto, assim como a luz do sol é excessiva para as limitadas habilidades visuais de nossos olhos; mas podemos conhecer a presença do sol e capturar indiretamente sua luz, refletindo-a sobre os objetos. O mesmo acontece com a fé. Por exemplo, através do estudo do Catecismo e das nossas orações, podemos e devemos a cada dia tornar-nos mais conscientes dos mistérios centrais da nossa fé.

Na vida de um cristão que aprofunda sua fé no mistério da Trindade, o trabalho profissional, a vida interior e o apostolado devem desenvolver-se igualmente e formar uma unidade harmoniosa. Da mesma forma, podemos ter certeza de que, assim como na Santíssima Trindade, as pessoas divinas estão sempre unidas, assim também o para o cristão deve haver sempre momentos para o trabalho, para a oração e para a missão; o trabalho apostólico baseia-se na oração sendo feito com profissionalismo, responsabilidade e dedicação; a oração deve ser assumida e desenvolvida no diálogo filial com Deus e no âmbito da missão apostólica. Neste momento solene, em que queremos centrar mais a nossa vida no mistério da Santíssima Trindade, aproximemo-nos daquela a quem a Igreja chama a filha de Deus Pai, a Mãe do Senhor e a esposa mística do Espírito Santo de Deus, para que ela interceda por nós, junto da Trindade Santa.

Dom Antonio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen