Artigos, Bispos › 20/11/2020

Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo

Dia Nacional dos cristãos leigos e leigas: seu protagonismo no mundo

Neste dia 22 de novembro, quando a Igreja celebra a solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo e o encerramento do Ano Litúrgico, nossa saudação a todos e especialmente, neste Dia Nacional dos cristãos leigos e leigas, a todos os que são chamados a se fazerem presentes e operantes em sua dupla missão: na Igreja e fora dela, sendo “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14).

Liturgicamente, somos chamados a reconhecer a realeza de Jesus Cristo e a renovar nosso compromisso com os valores do seu Reino, no serviço à Igreja e aos irmãos. Por isso, volta-se nosso olhar a este importante papel que exercem nossos leigos e leigas na diversidade de lugares a que a Igreja instituição não tem alcance de chegar.

Queremos lembrar que no ano de 2018, a Igreja no Brasil, celebrando o Ano do Laicato, convocava a todos a um grande objetivo: “Como Igreja Povo de Deus, celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil; aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade”. Um olhar a este objetivo precisa ser retomado diante dos novos desafios provenientes da situação da pandemia do Coronavirus e que a Igreja criativamente precisa ser presença e resposta junto aos mais vulneráveis que mais sofrem as consequências desta realidade. Só assim poderá o Reino acontecer.

O Documento n. 105 da CNBB, Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade – Sal da Terra e Luz do Mundo, diz que eles precisam acreditar na sua própria vocação, chamados a uma missão na Igreja e na sociedade, conscientes de sua responsabilidade batismal. Acolhendo os desafios com alegria, sendo protagonistas da construção do Reino de Deus que é o reino da verdade, da vida, da justiça, do amor e da paz (cf. Doc. 105, 277).

Os cristãos leigos, vivendo sua vocação específica, buscam o Reino de Deus e o tornam concreto em sua ação no mundo, que além do espaço na Igreja, deve ser assumido na família, no trabalho, no lazer, na política, e na sociedade como um todo, procurando, na coerência de vida, tornar-se verdadeiramente “homens e mulheres da Igreja no coração do mundo, e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja” (Cf. Documento de Puebla, 786).

Obrigado a todos que fazem acontecer a evangelização numa Igreja em saída, com uma Igreja presença, numa Igreja compromisso com o Reino de Jesus Cristo, Aquele que é o Rei do Universo e que deve reinar em todos os corações.

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim