Artigos, ATUALIDADES › 01/04/2022

Todo o ser humano tem em si sementes a serem desabrochadas

Reflexões da Caritas RS sobre a CF 2022

Falar com sabedoria, ensinar com amor” (Pr 31,26): desafio e missão da Cáritas

Sendo que o tema da Campanha da Fraternidade 2022 trata da Educação, poderíamos equivocadamente pensar em um primeiro momento que este é um assunto exclusivo para quem está envolvido com escolas. Mas, como todas as demais temáticas das Campanhas anteriores, esse tema se dirige a toda sociedade e de modo especial aos espaços e às pessoas comprometidas com a missão eclesial.

Assim, a Cáritas como organismo da CNBB, que tem como missão testemunhar e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo, defendendo e promovendo toda a forma de vida e participando da construção solidária da sociedade do Bem Viver, sinal do Reino de Deus, junto com as pessoas em situação de vulnerabilidade exclusão social, sente-se contemplada e provocada a aprofundar esse tema, como oportunidade de refletir sobre sua prática pedagógica à luz do Evangelho, do Ensino Social da Igreja e de pedagogias que contribuem para a autonomia e a libertação das pessoas, de modo especial os referenciais Freirianos e outros que fundamentam a educação popular.

Há mais de 6 décadas fazendo uma caminhada que buscou e busca estar em movimento e à serviço das necessidades e realidades de cada tempo histórico e dos públicos preferencias de sua ação, a Cáritas tem como compromisso manter um olhar atento para a realidade, analisar os fatos para perceber os sinais de Deus na história presente e suas interpelações, escutar os clamores dos pobres, promover processos formativos e de análise crítica de sua atuação, entre outras orientações para ação conforme seus planejamentos estratégicos. Essas orientações possibilitaram e possibilitam confirmar ou corrigir sua prática pedagógica e referências metodológicas que orientam a ação de acompanhamento às comunidades e grupos.

Para a Cáritas, o trabalho em rede é um valor fundamental que orienta sua ação. A rede é composta pelas Cáritas Paroquiais, Arqui/Diocesanas, Regionais e as equipes Nacionais (de 200 países e territórios, incluindo a Caritas Brasileira), às quais são vinculadas à Cáritas Internacional. Uma das características comuns da Rede Cáritas se expressa na solidariedade organizada, servindo, defendendo e acompanhando os empobrecidos, por meio da resposta às emergências humanitárias, da defesa da dignidade humana e da criação das condições necessárias para o desenvolvimento humano integral.

Uma das bases de sua prática pedagógica é a educação popular que parte do princípio de que todo o ser humano traz si sementes a serem desabrochadas, o que se dá de forma dialógica à medida que compreende seu ser e estar no mundo. Neste sentido, o processo de acompanhamento de grupos, sejam eles de pastorais ou de iniciativas de organizações para a conquista de direitos e dignidade, é um processo privilegiado de aprender e ensinar, caminhando ao mesmo tempo que constrói caminhos.

Todo o agente Cáritas é convidado a assumir uma postura aberta para perceber e valorizar o conhecimento acumulado das pessoas e dos coletivos; a ter a sensibilidade para aprender com os processos de acompanhamento dos grupos e públicos com os quais interage; a contribuir para a conscientização tendo em vista a transformação da realidade e do mundo; a comprometer-se com a participação nos espaços de formulação e implementação de políticas públicas como lugar privilegiado de aprendizado e de exercício da cidadania; a promover a construção e socialização dos diferentes saberes, valorizando o saber popular em diálogo com o saber científico; a contribuir para a construção de uma sociedade com justiça social, democracia e dignidade humana para todas as pessoas; a buscar formação permanente que contribua para o enfrentamento dos desafios da realidade, entre outros aspectos que ajudam a Falar com sabedoria, ensinar (e aprender) com amor.

Outro valor e característica comum é o processo de Planejamento, Monitoramento, Avaliação e Sistematização que envolve periodicamente todas as instâncias da Cáritas em um esforço de não improvisação e ao mesmo tempo de contemplar a superação dos desafios; a construção de possibilidades para pastoralidade transformadora, que busca a forma mais acertada de pôr em prática e atualizar sua missão nas diferentes conjunturas e contextos. A cultura da solidariedade transformadora também é um importante pilar da ação da Cáritas, através da qual busca a superação do individualismo e do assistencialismo, a promoção da partilha, a luta contra as desigualdades sociais, a consolidação de iniciativas que apontem para o cuidado da vida humana e da biodiversidade. No Rio Grande do Sul, atua em áreas temáticas como a Economia Popular Solidária, a Segurança Alimentar e Nutricional, a participação e controle social das Políticas Públicas, as ações socioambientais, os povos e comunidades tradicionais, entre outras. A interação com os temas e pessoas são processos que trazem em si um potencial de prática aprendente e ensinante.

Jacira Teresinha Dias Ruiz – Secretária Regional da Cáritas RS