Artigos, Bispos › 25/08/2021

Um dia especial para Catequistas

Quando acontece, como neste ano, em que o grande mês de agosto, além de ter 31 dias, ainda se apresenta com cinco domingos, então se dedica o ultimo domingo para uma reflexão especial sobre o Dia do Catequista.

De maneira imprópria se fala em “aulas de catequese”. Na verdade nossas crianças e jovens se reúnem com os catequistas à semelhança do que acontece nas salas de aula, assim como eram concebidas, antes desta longa pandemia.

Mas, desde as origens do cristianismo, entende-se a vivência cristã como seguir um caminho, e o catequista é aquele que vai à frente, mostrando a estrada e por onde se deve caminhar, com os obstáculos que precisam ser evitados e os desvios que devemos evitar e ignorar.

Assim, nós passamos todo o mês de agosto, refletindo sobre as mais diferentes vocações ou chamados que Deus tem para nos apresentar durante a vida. Os catequistas ao lado de outra vocação que eles assumiram, o “ser catequista” é uma nova forma de responder a Deus que nos chama para sermos pessoas que mostram o caminho e que se colocam na estrada das gerações mais jovens, para orientar e encaminhar para uma vida sadia e de verdadeiro seguimento de Jesus Cristo e do seu Evangelho.

Uma das tarefas fundamentais do catequista é testemunhar o amor que Deus tem por nós. E a partir deste amor, é preciso apresentar a aliança que nos compromete e que exige de nós o cumprimento dos mandamentos. Nosso Deus sempre é fiel e por isso espera de nós a mesma fidelidade.

O perigo do mundo em que vivemos é a tentação da infidelidade, isto é, a vontade quase que instintiva que sempre quer levar-nos às coisas materiais e visíveis. Estas nos atraem e querem entrar em nossa vida e ocupar o lugar de Deus.

Então é importante olhar para a liturgia do último domingo de agosto. Lá encontramos o grande catequista de Israel, Moises, que conduziu o povo à terra prometida. Ele nos diz: “Na acrescenteis e nada tireis à palavra que eu vos digo, mas guardai os mandamentos do Senhor Vosso Deus que vos prescrevo. Vós os guardareis e os poreis em prática, porque neles está a vossa sabedoria e inteligência perante os povos” (Deut 4,2.6).

         Dom Zeno Hastenteufel – Bispo Diocesano de Novo Hamburgo