Visita Ad Limina Apostolorum dos bispos do Rio Grande do Sul

As realidades podem até ser diferentes: línguas, culturas, localização e, até mesmo, organização eclesial. Mas há um ponto que os bispos do mundo todo têm em comum: a visita Ad Limina Apostolorum.

Os bispos do Rio Grande do Sul estarão, de 21 a 30 de março, na visita Ad Limina Apostolorum. Literalmente, do latim, o termo quer dizer “no limiar dos apóstolos”. Isto significa que os bispos, que hoje são os sucessores dos apóstolos, vão estar no limiar, na soleira, às portas das basílicas dos apóstolos (Pedro e Paulo).

A visita está diretamente relacionada com a apresentação de um relatório sobre a situação da diocese de cada um. Este material não consiste especificamente em uma prestação de contas, mas muito mais em uma explanação sobre a situação de cada diocese. Este movimento deve ocorrer a cada cinco anos, conforme previsto no Código de Direito Canônico:

Cân 399 – § 1. O Bispo diocesano está obrigado a apresentar de cinco em cinco anos um relatório ao Sumo Pontífice sobre o estado da diocese que lhe está confiada, segundo a forma e o tempo determinados pela Sé Apostólica.

Para isso, o CDC prevê que “o Bispo diocesano vá a Roma no ano em que está obrigado a apresentar o relatório ao Sumo Pontífice […], a fim de venerar os sepulcros dos Bem-aventurados apóstolos Pedro e Paulo e apresente-se ao Romano Pontífice” (Cân 400).

Segundo o Diretório da Visita Ad Limina, a programação contempla também os contatos com os Dicastérios da Cúria Romana e pode incluir ainda, para aqueles que desejarem, a possibilidade de contato com a realidade eclesial e pastoral romana para “um conhecimento recíproco e um intercâmbio de experiências pastorais em torno de questões de interesse comum e situações análogas”.

Para esta visita, do Rio Grande do Sul irão 24 arcebispos e bispos de 17 arquidioceses e dioceses do Estado. Desta vez, apenas a Diocese de Erexim não terá representante no Vaticano, já que está com sede vacante desde a transferência de Dom José Gislon para Caxias do Sul, em 26 de junho do último ano.

Importância

A visita Ad Limina é um ato que todo o Bispo cumpre para o bem de sua própria diocese e de toda a Igreja, para favorecer a unidade, a caridade, a solidariedade na fé e no apostolado.

Trata-se de um momento forte na vida e no ministério pastoral dos Bispos, uma oportunidade de experimentar, de forma mais intensa, a comunhão com o Sucessor de Pedro e também entre os Bispos que, dessa forma, fortalecem a dimensão da colegialidade que os une num só corpo bem unido a serviço da Igreja, Povo de Deus a caminho da casa do Pai.

O diálogo fraterno que se estabelece com os vários Dicastérios da Cúria Romana e com o Santo Padre é uma forma de vivenciar a sinodalidade da Igreja, naquele sentido expresso pelo Papa Francisco: “um caminhar juntos, revigorados pela coragem e pelo consolo que vem do Senhor. Caminhamos, olhando-nos nos olhos e ouvindo-nos, com sinceridade, sem esconder as dificuldades, experimentando a beleza de caminhar unidos, para servir”.

Nesse espírito de unidade e colegialidade, os bispos vão apresentar ao Papa as diferentes e complexas realidades que desenham o rosto da Igreja no Rio Grande do Sul, com suas dificuldades e desafios pastorais, mas, sobretudo, com seus projetos, alegrias, esperanças e toda a riqueza da Ação Evangelizadora desenvolvida pelas 18 arqui/dioceses do Regional Sul 3 da CNBB, subdivididas em quatro Províncias Eclesiásticas: Porto Alegre, Santa Maria, Pelotas e Passo Fundo.

O Papa poderá conhecer melhor, por exemplo, o trabalho realizado na renovação da catequese, com o projeto da Iniciação à Vida Cristã (IVC); a realidade da formação inicial e permanente do clero; os desafios da pastoral vocacional; o espírito de comunhão que existe com os religiosos e religiosas; as inúmeras iniciativas e projetos que visam à formação de lideranças leigas nas comunidades paroquiais e nos movimentos eclesiais, bem como todas as frentes de diálogo e interação da Igreja com as várias realidades presentes na sociedade.

História

A última visita Ad Limina realizada em Roma pelo episcopado do Regional Sul 3 ocorreu há mais de 10 anos, de 27 de novembro a 10 de dezembro de 2009.

Dos 24 bispos que agora vão ao Vaticano, apenas sete eram bispos diocesanos na época e estavam em 2009 na visita. Na ocasião, o encontro foi realizado junto com os bispos do Regional Sul 4 – Santa Catarina.

Em 2009 os bispos tiveram dois momentos com o Papa Bento XVI: uma audiência reservada e uma audiência geral. Além disso, o grupo realizou também as visitas nos Dicastérios e celebrou nas quatro Basílicas Maiores: São João de Latrão, São Paulo Extramuros, Santa Maria Maior e São Pedro, a sede do Vaticano.