Artigos, Bispos › 12/06/2020

Vós sereis uma nação santa

Esta é a mensagem de alegria e de esperança que o nosso Deus dirigiu ao seu povo, depois do êxodo e da longa caminhada, do Egito até a terra prometida. Será que esta palavra Ele não gostaria de dirigir ao seu povo, neste domingo, situado entre a Solenidade de Corpus Christi e a Festa do Sagrado Coração de Jesus? Nós que certamente vamos sair desta Covid-19, precisamos de um ânimo novo e força especial que vem do alto.

A celebração de Corpus Christi, este ano sem a devida solenidade, nos lembra a comunhão permanente com o Senhor e a festa do Coração de Jesus, na próxima sexta, nos faz experimentar o amor, que brota de um Deus que tem coração, batendo e pulsando por nós.

A frase completa de Deus é esta: “E vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa” (Ex 19,6). Que coisa boa é nós termos a consciência de pertencer ao Senhor!   Ele é o nosso Deus e nós somos o seu povo!

Quem entendeu bem esta frase foi Paulo que escreveu: “Pois bem, a prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós quando éramos ainda pecadores. Muito mais agora que já estamos justificados pelo sangue de Cristo, seremos salvos da ira por Ele” (Rom, 5,8-9).

Jesus, certamente olhando para as comunidades cristãs, tão abatidas e recolhidas em suas casas, vai nos dizer agora: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita” (Mt 9,37-38). Esta deve ser também a nossa oração, nesta hora em que estamos voltando para as nossas comunidades e celebrando com todo o entusiasmo.

Assim como Ele enviou os apóstolos, está certamente enviando a nós todos com as mesmas palavras: “Ide antes às ovelhas perdidas e desgarradas… Em vosso caminho anunciai: O reino dos céus está próximo… De graça recebeste, de graça deveis dar” (Mt 10,6-8).

Depois desta longa quarentena, nós agora somos enviados ao nosso povo, precisamos ir em busca de todos aqueles que já estavam conosco, mas que se afastaram, não morreram como poderia parecer, mas estão desmotivados, distanciados, cheio de preocupações e precisam de uma palavra de acolhida e de compreensão. Precisam do carinho de um pastor!

Dom Zeno Hastenteufel – Bispo Diocesano de Novo Hamburgo